quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O mito da deusa Lethe, uma introdução à concepção grega de conhecimento.


O Conhecimento e o Tempo para os Gregos Antigos
Certa vez um homem perguntou a um velho o que era o tempo. O velho respondeu: meu filho, o tempo é o lugar onde as coisas acontecem. Porém, para existir o tempo precisa de duas coisas. O que? pergunta o homem. O velho já meio cansado, pois era muito idoso, responde: daquilo que se lembra e daquilo que se recorda, mas que não aconteceu, ou seja, daquilo que cada um viveu e daquilo que se quer viver. O homem sem entender nada olha para o velho. O velho então passa a contar uma antiga história do antigo povo aqueu ou grego.
O homem muito confuso e preocupado indaga o velho dizendo
   - como assim?
O velho já bem cansado diz
- para saber isso você precisa recordar daquilo que não aconteceu.
O homem, ainda mais desesperado pergunta
- como posso recordar do que não aconteceu. Isso é impossível?
O velho em socorro do homem começa a falar: antes de vir ao mundo os homens já viviam, eles moravam junto dos deuses, nesse convívio aprendiam, sentiam a brisa divina e nutriam-se de todo alimento dos deuses. Nesses momentos tornavam-se sábios e conhecedores de tudo que existe. Porém, os deuses eram superiores e o homem destinado a ocupar a terra precisava ascender ao mundo.
Para cumprir seu destino os homens tinham que caminhar até um portal que os impulsionaria ao mundo e enfim nasceriam. Os deuses, apegados ao homem, indicavam o caminho. Dizia o deus
- para chegar a terra deve caminhar quatro das doze medidas de tempo do dia, ao chegar nesse tempo encontrará um rio, neste rio mora uma deusa, muito bela e sedutora chamada Lethe. Não bebam da água desse rio, independente de suas sede, pois o tempo de vocês é curto e precisam nascer.
O homem atento pergunta ao velho
- e os homens antes de nascer bebiam da água do rio da deusa?
O velho responde-lhe
- a maioria, ao passar pelas águas do rio, sentia muita sede, acabavam bebendo muita água. Apenas os que lembravam da palavra dos deuses não bebiam.
O homem então pergunta
- e o que acontecia com quem bebia a água?
O velho diz
- aqueles que bebiam não lembravam inham daquilo que não tinha acontecido, ou seja, daquilo que tinham vivido com os deuses antes de vir ao mundo. Pois, Lethe era a deusa do esquecimento, da ocultação do conhecimento que tem origem nos deuses.Os homens que bebiam pouca água lembravam-se mais do saber divino, da matemática, da astronomia, da ciência da medicina, do poder das palavras ditas no momento certo, e da força da filosofia que entende a razão de tudo ser como é. Assim, entre os homens, desde a Antiguidade existe os homens que sabem mais que os outros, ou seja, na verdade não esquecem-se daquilo que todos nós sabemos.
O homem maravilhado diz
- então conhecer alguma coisa, ou aprender algo é simplesmente recordar daquilo que se sabia antes de nascer, o mesmo, nesse caso, de não esquecer.
- sim, está é uma das verdades que sempre existiu no mundo, e o nome para designar a verdade para os gregos é a-letheia, quero dizer, verdade é simplesmente não esquecer do que as coisas realmente são. Isso é divino. E a filosofia como diz o antigo Aristóteles é buscar o que é divino, diz o velho.
- desse modo, lembrar daquilo que não se viveu é lembrar do mundo em que vivemos antes de sermos corpóreos, antes de termos um corpo e vivermos na realidade do mundo que vemos e tocamos, conclui o homem.
Sim, diz o velho. E os deuses irmãos Chronos e Kairos que orientavam os homens na caminhada ao mundo físico eram os deuses do tempo. Chronos é o senhor do tempo que conta, do tempo que passa, momento a momento, como o sol sucedido pela lua, e o inverno sucedido pela primavera, o crescer das árvores e das crianças que se tornam homens e mulheres de beleza e força inestimáveis.
- E Kairos pergunta o homem. 
- Ele é o deus do "momento certo" ou "oportuno" é o tempo do momento indeterminado no tempo em que algo especial acontece, como as escolhas e presentes que recebemos do destino.


Para saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lethes


0 comentários:

Postar um comentário

Café Filosófico

Loading...
 

Filosofia Design by Insight © 2009