domingo, 20 de fevereiro de 2011

A sociologia como física social (Comte)


A sociologia como física social

Para passar de uma sociedade em crise para a "ordem social" , há necessidade de saber. O conhecimento é feito de leis provadas com base nos fatos. Desse modo, e preciso encontrar as leis da sociedade se quisermos resolver suas crises e prever o desenvolvimento futuro da convivência social.
Portanto, para a sociologia, através do raciocino e da observação, é possível estabelecer as leis dos fenômenos sociais, como a física pode estabelecer as leis que guiam os fenômenos físicos.
Comte divide a sociologia, ou física social, em:
  1. estática social;
  2. dinâmica social.
     a) A estática social estuda as condições de existência comuns a todas as sociedade em todos os tempos. Tais condições são a sociabilidade fundamental do homem, o núcleo familiar e a divisão do trabalho, que se concilia com "a cooperação dos esforços". A lei fundamental da estática social e a conexão entre os diversos aspectos da vida social, de modo que, por exemplo, uma constituição política não e independente de fatores como o econômico e o cultural.
    b) Por seu turno, a dinâmica social consiste no estudo das leis de desenvolvi­ mento da sociedade. Sua lei fundamental e a dos três estágios. Também o progresso social segue essa lei. Ao estágio teológico corresponde a supremacia do poder militar (e o caso do feudalismo); ao estagio metafísico, corresponde a revolução (que começa com a Reforma protestante e termina com a Revolução Francesa); ao estagio positivo, corresponde a sociedade industrial.
    Mas através de que caminhos podemos conhecer as leis da sociedade? Na opinião de Comte, os caminhos para alcançar conhecimento sociológico são a observação, o experimento e o método comparativo.
    A observação dos fatos sociais e observação direta e enquadrada na teoria, isto e, na teoria dos três estágios. Em sociologia o experimento não e tão simples como em física ou em química, que o se pode mudar as sociedades a vontade; entretanto, da mesma forma que em biologia, também na sociologia os casos patológicos, alterando
    o nexo normal dos acontecimentos, substituem de certo modo o experimento. O método comparativo estuda as analogias e a diferenças entre as diversas sociedades, no seus respectivos estágios de desenvolvimento. E, diz Comte, e o método histórico que constitui "a única base fundamental sobre a qual pode real mente se basear o sistema da lógica política".

    2 comentários:

    Anônimo disse...

    bom post

    Anônimo disse...

    Massafera ;D

    Postar um comentário

    Café Filosófico

    Loading...
     

    Filosofia Design by Insight © 2009